Header Ads

Como se Conhecer Melhor? 7 Etapas para Alcançar o Autoconhecimento


Antes de saber qualquer outra coisa, você precisa se conhecer primeiro. Você precisa conhecer suas fraquezas, pontos fortes, crenças e desejos na vida. Manter contato com suas emoções faz você ter consciência de si mesmo.



Quão bem você realmente se conhece? Todos sabemos o que a sociedade quer que façamos ou as pessoas que nossa família quer que sejamos. Às vezes, é fácil ser pego em projeções de quem somos; perdemos contato com nossos valores, necessidades e desejos fundamentais. E se você não se conhece muito bem, é difícil escolher um caminho na vida que faça você se sentir feliz e realizado. Você também pode se envolver em relacionamentos que realmente não combinam com você ou pode se sentir sozinho(a) porque ninguém realmente conhece o "verdadeiro" você.

Orientarei você em sete etapas que você pode seguir se quiser se conhecer melhor. Ao longo do caminho, veremos por que é importante conhecer cada aspecto de si mesmo e exploraremos dificuldades comuns. À medida que você se conhecer melhor, deverá ver o seu bem-estar geral aumentar como resposta.

A importância do autoconhecimento

Como falei no início, o aumento do autoconhecimento tem ramificações positivas abrangentes. No entanto, uma de suas conseqüências mais importantes é o aumento da inteligência emocional. Quando você é mais emocionalmente inteligente, é mais capaz de identificar e gerenciar seus sentimentos à medida que eles surgem, sem reprimi-los nem se perder neles.

As pessoas emocionalmente inteligentes também estão mais em paz com quem realmente são, concentrando-se mais em atender aos seus próprios padrões do que os estabelecidos por outros. Autoconhecimento e alta inteligência emocional também estão correlacionadas com maiores níveis de sucesso. Por exemplo, estudos psicológicos recentes indicam que muitos líderes de negócios importantes têm essas duas características, e que desempenham um papel fundamental em suas realizações contínuas.

Portanto, se você quer se destacar no seu trabalho, procura melhorar os relacionamentos mais importantes da sua vida ou apenas quer se sentir mais em paz com sua própria pessoa, você tem muito a ganhar trabalhando no autoconhecimento. [Leia também: Autoconhecimento - Saiba porque é fundamental]

7 maneiras de se conhecer melhor


Antes de praticar qualquer técnica para se conhecer, é importante estar aberto para o que vai encontrar. Afinal, você pode se surpreender com alguns aspectos de quem você é, principalmente se achar difícil se desvencilhar dos julgamentos de outras pessoas.

No entanto, uma vez que você esteja armado com uma atitude curiosa e aceitadora, deve achar agradável e emocionante o processo de autodescoberta. Aqui estão sete das melhores maneiras de começar a conhecer uma ampla gama de aspectos de si mesmo, além de alguns dos benefícios mais importantes que você pode esperar obter com cada etapa.

1. Conheça sua personalidade

Primeiro, vamos entender a sua personalidade principal. Isso é algo que você pode fazer refletindo sozinho, mas fazer anotações e escrever listas pode ajudá-lo a entender melhor as informações que você possui.



Pergunte a você mesmo as seguintes questões:

1. Que 5 a 10 características que eu sinto que me definem?
2. Que 5 a 10 palavras as outras pessoas escolheriam para me descrever?
3. Que papel eu desempenho no meu grupo de amigos?
4. Como um estranho me veria?
5. O que eu quero que os outros pensem sobre mim?

Além disso, pense nas principais decisões que você tomou na vida, boas e ruins.

Por que você fez essas escolhas? Quais foram as expressões autênticas de quem você é? Quais foram feitos sob pressão de outros?

Pense em como o seu passado moldou o seu eu futuro, dando um peso particular às suas experiências de início de vida. Frequentemente, o que passamos quando crianças desempenha um papel fundamental na criação de padrões, preferências e necessidades para o futuro.

2. Conheça seus principais valores

Em outra lista, é importante pensar não apenas em suas características, mas também em seus valores. Em outras palavras, o que mais importa para você?

Os psicólogos geralmente sugerem que a maioria de nós tem cerca de oito valores essenciais e que estes desempenham o papel mais importante na motivação de nossas escolhas no trabalho, em casa e na vida cotidiana. Faça uma lista dos oito valores que você acha que guiá -lo. Em muitos casos, esses serão compromissos morais que você possui.

Por exemplo, através da honestidade, lealdade, compaixão, mente aberta e assim por diante. No entanto, outros refletirão onde você encontra mais alegria na vida (por exemplo, valores como aprendizado, diversão ou experiências diversas).

Você pode aprender ainda mais se passar algum tempo pensando em como e quando esses valores se desenvolveram.

Seus pais os modelaram para você ou seus valores evoluíram em oposição ao que você viu quando estava crescendo?

3. Conheça seu corpo

Quando pensamos em autoconhecimento, é fácil focar no psicológico em detrimento do físico. No entanto, conhecer o seu corpo é tão importante quanto conhecer os meandros da sua mente. Com demasiada frequência, nossos corpos são tratados como inimigos ou como uma mera reflexão tardia. Aprender mais sobre seu corpo ajuda você a estabelecer metas realistas e conhecer seus próprios limites, além de ajudá-lo a se sentir mais confortável em si mesmo.

Além de refletir sobre suas capacidades físicas, esteja aberto a experimentar coisas novas para ver se elas se adaptam ao seu corpo. Enquanto isso, pratique meditações de atenção plena (como exercícios de escaneamento corporal) para se sentir mais afinado com sua respiração e seus movimentos. Se você tiver problemas com a imagem corporal, desafie-se a pensar em cinco coisas que ama no que seu corpo pode fazer (ou faz).

4. Escreva um diário

Conversamos muito sobre fazer várias listas e anotações, mas um hábito mais geral de registro em diário também pode desempenhar um papel fundamental no aumento do seu autoconhecimento. Se você escreve em um diário todos os dias, a auto-reflexão se torna o padrão. Você começa a aprender a olhar além de suas reações superficiais para ver suas necessidades e emoções subjacentes. Manter um diário também ajuda a identificar sua própria voz; distinguindo sua voz interior das vozes de pessoas cuja aprovação você possa estar buscando.



Você não precisa apenas seguir a abordagem padrão de escrever um pouco sobre cada dia também. Por exemplo, você pode registrar um diário sobre o que come, o que vê, o que sonha ou o que pensa. Você também pode desenhar em vez de escrever ou até criar colagens.

Se você não tiver certeza de qual estilo funciona para você, alterne ao longo de uma semana e considere misturar abordagens. Enquanto você mantiver um diário, estará trabalhando para um maior autoconhecimento de alguma forma.

5. Identifique seus pontos fortes e fracos

Conhecer a si mesmo tem tudo a ver com desenvolver uma imagem real de quem você é, incluindo as partes das quais se orgulha e as partes com as quais você luta de tempos em tempos. Faça uma lista de seus pontos fortes e fracos, começando com seus pontos fortes. Pense no que você gosta em si mesmo e também em quais partes de si mesmo provocam consistentemente o feedback mais positivo. Por exemplo, talvez lhe digam com frequência que você é extremamente paciente com os outros, ou sabe que tem uma grande imaginação.

Quando se trata de identificar suas fraquezas, pergunte-se se há temas comuns em suas falhas ou em episódios decepcionantes de sua vida. Além disso, considere se você é solicitado frequentemente a trabalhar em um aspecto específico de sua personalidade. Por exemplo, talvez seus chefes enfatizem regularmente que você não fala durante as reuniões, indicando que uma fraqueza potencial é a falta de autoconfiança.

6. Tenha uma visão e missão de vida

Embora pensar no passado seja vital para se conhecer, é importante também fazer planos para o futuro. Em vez de apenas passar pela vida e reagir ao comportamento dos outros, pergunte a si mesmo o que você vê como a missão da sua vida.

Que tipo de legado você deseja deixar para trás? Onde você se vê daqui a 2 anos, 10 ou 20?

Lembre-se de que a missão de uma vida não precisa ser algo dramático ou mudar o mundo. Pense na sua missão como sendo definida pelo que faz você se sentir autêntico, animado e apaixonado. Enquanto isso, pense um pouco sobre como essa missão pode ajudar outras pessoas, mesmo em pequena escala.

Também vale a pena notar que você pode ter várias missões. Por exemplo, você pode ter o objetivo de ser um certo tipo de pai(ou mãe) para seus filhos, além de ter uma missão separada relacionada à sua carreira.

7. Questione seus pensamentos automáticos

Finalmente, muitos de nós têm a tendência de experimentar pensamentos automáticos que são pessimistas, autodestrutivos e irracionais. Se você não se conhece muito bem, pode aceitar essas distorções cognitivas como verdade. Posteriormente, você pode sentir um humor desanimado e se sentir mal consigo mesmo. [Leia: Como dominar a conversa interna positiva e banir a negatividade]

Por outro lado, quando você tem níveis mais altos de autoconhecimento, pode “captar” essas distorções à medida que elas surgem, redirecionando sua mente para pensamentos mais realistas.

Sempre que você se perceber pessimista, fazendo suposições negativas sobre seu valor ou evitando o feedback positivo, respire fundo e desafie esses pensamentos.

Por exemplo, transforme “nunca terminarei esse projeto” em “estou lutando com esse projeto agora, mas depois de um descanso sei que posso finalizá-lo”. Enquanto isso, mude “Não sou bom o suficiente para fazer X” em “Sinto-me inseguro com relação a X, mas vale a pena me esforçar para fazê-lo, porque isso é algo com o qual realmente me importo”.

Com o tempo, os pensamentos mais positivos devem se tornar automáticos.



Ter autoconhecimento e entender como você é percebido pelos outros são componentes importantes do crescimento pessoal e do desenvolvimento de seu potencial. Alguns podem perguntar: qual é a importância do autoconhecimento? Bem, o autoconhecimento o ajudará a melhorar a si mesmo, a estabelecer sua própria identidade e a ter um relacionamento harmonioso.

Por fim, desenvolver o autoconhecimento leva tempo, muito esforço e prática. Exige que a pessoa preste atenção em sua própria personalidade e comportamento. Mas vale a pena.


Se você gostou do texto e quiser ser um patrocinador para que esse espaço fique cada vez melhor,  contribua mensalmente com qualquer valor para a manutenção do meu trabalho, através do: 


Ou você pode ajudar doando qualquer valor via depósito bancário:

Luciana Oliveira da Costa
Caixa Econômica Federal
Agência: 4162 
op 013
Conta Poupança: 00027217-0

Muito obrigada e aproveite mais dicas navegando pelo blog!

Autora:
Luciana Costa Luciana Costa é blogueira, escritora e coach. Autodidata aplicada, apaixonada por psicologia, filosofia e gatos. Carioca e flamenguista.

Nenhum comentário

Gostou do Texto? Deixe um comentário!
Obs: todos os comentários são moderados antes de serem liberados e exibidos no blog. Comentários anônimos são aceitos, palavrões e insultos, não. Se desejar comentar anonimamente, assine com um pseudônimo.

Tecnologia do Blogger.