Assédio Moral no Trabalho - O Que é e o que Fazer?

Assédio moral é um comportamento vexatório que se manifesta sob a forma de conduta, comentários verbais, ações ou gestos, caracterizada pelos quatro critérios seguintes:

1. Eles são repetitivos *;
2. Eles são hostis ou indesejados;
4. Eles afetam a dignidade ou a integridade psicológica da pessoa, e
5. Eles resultam em um ambiente de trabalho nocivo.

O assédio sexual no local de trabalho também está incluído nesta definição.

O que é o comportamento vexatório?


É um comportamento humilhante ou abusivo que reduz a autoestima de uma pessoa ou lhe causa tormento.

Ele também é um comportamento que excede o que a pessoa considera ser adequado e razoável no desempenho de seu trabalho.

Assédio moral pode vir de um superior, um colega, um grupo de colegas, um cliente, um fornecedor ...

* A única incidência grave de tal comportamento que também pode constituir assédio moral é se comprometer a integridade física ou psicológica da pessoa e se ela tem um efeito nocivo duradouro.

Algumas maneiras comuns em que o assédio é expresso


1. Fazer comentários rudes, degradantes ou ofensivos.

2. Fazer gestos que buscam intimidar, participando de represálias.

3. Desacreditar a pessoa: espalhar boatos, ridicularizando-a, humilhando-a, pondo em questão as suas convicções ou sua vida privada, gritando de forma abusiva ou praticando assédio sexual.

4. Depreciar a pessoa: forçando-a a executar tarefas que são depreciativas ou abaixo de suas habilidades, simulando falta profissional.

5. Impedir a pessoa de se expressar: gritar com ela, ameaçando-a, constantemente interrompendo-a, proibindo-a de falar com os outros.

6. Isolando a pessoa: já não falar com ela tudo, negando a sua presença, distanciando-a de outros.
7. Desestabilizar a pessoa: tirando sarro de suas convicções, seus gostos e suas escolhas políticas ou religiosas.

Direitos de gestão e as condições normais de emprego


Assédio moral não deve ser confundido com o exercício normal dos direitos de gestão do empregador, em particular o seu direito de atribuir tarefas e seu direito de repreender ou impor sanções disciplinares.

Na medida em que o empregador não exercer esses direitos de forma abusiva e discriminatória, suas ações não constituem assédio moral.

Prevenção primeiro


Prevenção na empresa continua a ser o melhor meio de combater o assédio moral. É de responsabilidade do empregador a tomar medidas razoáveis ​​para impedir o assédio moral e para pôr um fim a esse tipo de comportamento quando é levado ao seu conhecimento.

Boas práticas de gestão


1. Promover a comunicação interpessoal respeitosa.

2. Gerenciar os membros de sua equipe de forma justa.

3. Tomar uma atitude rápida e adequada para gerir conflitos; não permitem que a situação a deteriorar-se.

4. Definir claramente as responsabilidades e tarefas de cada funcionário.

5. Colocar em prática na sua empresa um procedimento que é conhecido, credível e adaptado à realidade, para permitir que as pessoas relatem casos de assédio de forma confidencial.
6. Recorrer, em certos casos, a recursos especializados para ajudar a pôr fim a uma situação de assédio moral e para evitar outros surgimento de tais situações.

O que você deve fazer em caso de assédio moral no trabalho?


Sempre que possível:

1. Fale sobre o problema que está enfrentando com alguém em que você confia. Não permaneça isolado;

2. Expressar de forma muito clara para a pessoa que é a fonte do comportamento indesejado seu desejo de que esse comportamento cesse imediatamente.

3. Verifique no interior da empresa se existe um procedimento em que seja possível relatar o comportamento indesejado de forma confidencial.

4. Traga o assunto à atenção de seu empregador, que deve pôr fim a esse comportamento, tomando medidas adequadas.

A Lei de respeitar as normas laborais fornece um recurso em caso de assédio moral no trabalho, que está disponível a todos os funcionários, sindicalizados ou não sindicalizados.

Reúna provas sobre o assédio — valem e-mails de cobranças indevidas, testemunhas que ouviram o chefe destratando o profissional em diversos momentos ou críticas pesadas e infundadas na avaliação de desempenho. Laudos médicos atestando estresse e depressão causados pelo trabalho também entram na lista. Os juízes costumam ser favoráveis a processos em que há vasta documentação provando que o assédio moral era recorrente.

 
Estou me esforçando ao máximo para ajudar a melhorar os relacionamentos das pessoas. Mas não posso fazer isso sozinha. Você gostou desse texto e te ajudou de alguma forma? Compartilhe!!! Outras pessoas podem gostar também! Esse blog se mantém através da venda de ebooks. Se você acha que vale continuar com esse trabalho, ajudando quem acessa esse espaço, Clique AQUI. Além de adquirir materiais de qualidade, você estará me ajudando a manter esse blog. Obrigada!!!!
Compartilhe no Google Plus

Sobre Luciana Costa

Blogueira e escritora independente. Sou amante da literatura e das artes. Também amo minha liberdade, minha família, meus amigos. Gosto de aprender e gosto de ensinar.

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou do Texto? Deixe um comentário!
Obs: todos os comentários são moderados antes de serem liberados e exibidos no blog. Comentários anônimos são aceitos, palavrões e insultos, não. Se desejar comentar anonimamente, assine com um pseudônimo.