Pompoarismo - Dicas e Exercícios da Arte do Prazer


Muitas pessoas ainda acham que o pompoarismo é pura sacanagem. Para que você conheça melhor essa arte (é assim que eu vejo, ok?), e deixe de lado qualquer preconceito, vamos começar conhecendo o significado da palavra pompoar: comando mental sobre os músculos cincurvaginais (uma verdadeira malhação íntima!). Ou seja, pompoarismo é a prática do pompoar, ginástica sexual conhecida por grupos seletos de pessoas na Índia, Tailândia, Indonésia e outros países orientais. Estes conhecimentos são um legado de antepassados e muitas informações são recebidas oralmente e outras estão compiladas por textos antigos de grande valor, pois a arte de fazer amor no Oriente é considerada sagrada. 

A técnica foi desenvolvida há mais de l.500 anos inicialmente pelas sacerdotisas dos templos da Grande Mãe, para ser utilizada uma vez por ano nos rituais de fertilidade. Com o decorrer do tempo, essa técnica foi saindo dos recintos dos templos tornando-se popular entre as mulheres que o praticavam para obter e dar maior satisfação sexual a seus homens. Na Tailândia, Indonésia e Malásia, o homem pode ter várias mulheres, desde que possa mantê-las, seguindo-se o costume geral no qual se paga um dote aos pais. O valor é estabelecido de comum acordo entre os pais e o futuro marido e depende da educação, da cultura, dos dotes musicais, e das habilidades sexuais da futura esposa, que obteve após longos anos de treinamento chamado “pompoarismo”. No Brasil não corremos esse risco de ter que dividir o marido com mais de uma mulher (pelo menos não formalmente), mas é melhor se garantir (até porque, hoje em dia não está fácil!).

1. Princípios do pompoarismo

Para tornar-se pompoarista alguns fatores são importantes, são eles: em primeiro lugar, consultar periodicamente seu ginecologista para saber como anda sua saúde sexual; não fumar ou fumar menos; não beber ou beber moderadamente (socialmente, entendeu?); alimentar-se bem (pouco); dormir bem (portanto nada de cair na gandaia a semana inteira); meditar (isso ajuda na concentração na hora de fazer os exercícios). Não é pra desanimar!

2. Benefícios

O pompoarismo, além de fortalecer a musculatura da vagina e os músculos da região genital (área pélvica), regula os hormônios (pois ativam a circulação pélvica conservando por mais tempo a libido e a juventude das pessoas que praticam os exercícios regularmente); auxilia no tratamento de frigidez; auxilia e previne incontinência urinária; queda do útero; flacidez vaginal; previne doenças (deixa os tecidos da região vaginal mais fortes e lubrificados); confere maior mobilidade aos quadris e áreas pélvicas; deixa a mulher mais confiante (pois, aumenta a sensação de feminilidade); sexualmente muito mais preparada e eleva a autoestima.

3. Técnica

A técnica consiste numa série de exercícios que trabalham os três anéis musculares da vagina: o anel da entrada da vagina, que possui musculatura mais forte; o anel do meio (localizado na parte mediana da vagina) e o terceiro anel que é o mais interno e se localiza próximo ao colo do útero (também não possui força muscular). Devido aos conhecimentos sobre o assunto, as mulheres orientais procuram sempre fortalecer, o segundo e terceiro anéis através do exercício do pompoar. A maioria dos exercícios consiste em executar contrações e descontrações dos músculos vaginais.

4. Disciplina

Se você for disciplinada e praticar todos os dias (todos os dias mesmo!) é possível desenvolver, e controlar, a musculatura vaginal em pouco tempo, de forma que possa dar e sentir mais prazer.

5. Respiração

A respiração é muito importante para a assimilação dos exercícios, sempre antes de fazer força você deve inspirar pelo nariz e quando relaxar (descontrair) você deve expirar pela boca. Evite respirar muito profundamente, pois o excesso de oxigenação poderá causar tonturas. Respire naturalmente.


6. Contração dos genitais

Esse é um exercício muito eficiente, sendo conhecido também como “exercício de Kegel”, porque foi introduzido nos Estados Unidos pelo ginecologista americano Arnold Kegel que costumava recomendá-lo às suas clientes (década de 1950). Inspire pelo nariz e contraia vigorosamente toda a musculatura vaginal, depois relaxe, expirando pela boca. Esse exercício deve movimentar a musculatura como você tivesse fazendo uma interrupção durante a micção (interromper a urina). Cada movimento deve durar de três a quatro segundos e você deve repetir por 15 a 20 minutos ao dia, ou seja, de 300 a 400 repetições diárias. Você pode executar os exercícios de Kegel em qualquer posição (sentada, deitada, em pé) e em qualquer lugar (você pode aproveitar o congestionamento, rs).

7. Fortalecimento dos músculos vaginais

Você já ouviu falar em Ben Wa? São as famosas bolinhas tailandesas, um acessório que consiste em duas, três ou mais bolinhas interligadas por um fio bem macio, que medem aproximadamente 3,5 cm de largura e têm um peso solto em seu interior. Você deve fazer a assepsia das bolinhas antes e depois de usá-las, e também lubrificá-las. Inspire pelo nariz e introduza a primeira bolinha na vagina. Movimente alternadamente os anéis musculares de fora para dentro, forçando a entrada da segunda bolinha. Relaxe expirando pela boca. Em seguida, inspire pelo nariz e faça movimento contrário para expulsar cada bolinha e relaxe, expirando pela boca. No início você deverá usar uma das mãos tanto para auxiliar na entrada como na saída das bolinhas tailandesas.

8. Uso de cones para fortalecer a vagina

Outra forma de fortalecer os músculos vaginais deixando-os mais rijos e fortes é usando pesos especiais (os chamados cones), que pesam entre 20 e 70 gramas e têm formato semelhante ao de um absorvente interno. Esses cones são inseridos na vagina de 15 a 20 minutos, para que atuem nos seus músculos internos. Antes de fazer a introdução, você deve lavá-los com sabão neutro. Recomenda-se a utilização de lubrificante para facilitar a introdução do cone. Com os cones mais leves você adquire movimentos rápidos, e com os mais pesados você adquire força muscular. Em pé, com as pernas semiflexionadas, ou na posição de cócoras, introduza o cone até o segundo anel vaginal (na altura onde se coloca o absorvente interno) e contraia a musculatura várias vezes. Vá aumentando o número de contrações a medida que você sentir mais força muscular. Não esqueça a respiração. Depois tente usar a sua força vaginal para expulsar o cone da vagina. Geralmente são cinco cones, e cada um tem um peso diferente. Você vai começar com o mais leve e depois conforme for ficando fácil de você sugar e expulsar o cone, você vai passar para o cone seguinte que é um pouquinho mais pesado que o anterior (cada peso é uma cor).

9. Último exercício

Esse é feito com o auxílio de um vibrador feminino de forma cilíndrica, medindo aproximadamente 17 cm de comprimento por 2,5 cm de largura e com a superfície lisa. Introduza a ponta do vibrador devidamente lubrificado na vagina. Inspire pelo nariz e faça um esforço de sucção até que ele já tenha sido introduzido parcialmente em sua vagina, relaxe e expire pela boca. Inspire novamente pelo nariz e contraia toda a musculatura vaginal e relaxe. Inspire novamente e procure contrair um anel de cada vez (1,2 e 3 anel), relaxe. Inspire novamente e faça um movimento de expulsão para que ele saia da vagina. Quando isso acontecer relaxe e expire pela boca. Ao introduzi-lo tenha cuidado para que ele não pressione o colo do útero de forma a provocar qualquer sensação de desconforto. No início você terá que ajudar com uma das mãos, pois fazer a sucção somente com os músculos vaginais requer um treino de aproximadamente seis meses. Esse exercício deve ser executado na posição sentada (sobre uma superfície plana) ou em pé. Pratique de 15 a 20 minutos por dia. Quando você estiver menstruada, evite fazer os exercícios.

10. Exercícios do prazer

O tempo para perceber os resultados dos exercícios de pompoarismo varia de mulher para mulher. Quando você se sentir preparada (segura) poderá combinar os movimentos e usá-los com o seu parceiro na hora da transa. Segure um pouco a fricção e o vai e vem, opte por posição que você esteja por cima do parceiro (posição cavalgada), para poder brincar com o pênis dele, ou melhor malhar. Os movimentos são os seguintes: Chupitar (sugar o pênis fazendo um movimento de sucção com a vagina, como se fosse uma boca chupando uma chupeta); Estrangular (a vagina aperta o pescoço da glande); Expelir (como o próprio nome já diz, o movimento expele o pênis, só deixando a glande dentro da vagina); Ordenhar (parece a ordenha do leite da vaca); Revirginar (contrair a vagina a ponto de fechar os lábios vaginais e sua abertura, para dificultar a entrada do pênis, como se fosse virgem); Sugar (o parceiro coloca apenas a ponta da glande na vagina e, com movimentos de sucção você faz com que o pênis seja totalmente introduzido); Travar (contrai a vagina com força para impedir a saída do pênis). Esse último movimento é ótimo para você discutir falar tudo que quiser, pois ele não vai sair e deixá-la falando sozinha, nunca.


O passo a passo do pompoarismo



Segundo a professora Regina Racco, em 15 dias, é possível perceber resultados e, em oito meses, dominar a técnica. Vale reforçar que o desenvolvimento varia de mulher para mulher e de acordo com o treino.

1. Autoconhecimento

Primeiro, você deve conhecer o próprio corpo. Para isso, explore a região genital usando um espelhinho. Comece massageando a vagina com movimentos suaves e amplos. Não há um roteiro específico a seguir: o objetivo é que você se sinta à vontade e tenha total domínio sobre a região. Quando se sentir bem, passe a contrair e a relaxar a vagina, observando os movimentos no espelho.


2. Músculo no alvo

Está com dificuldade para perceber como deve concentrar a força para contrair a vagina? Um exercício fácil pode ajudá-la: ao fazer xixi, interrompa o jato e conte até dez. Descobriu qual é o músculo a ser trabalhado? Então, agora que já sabe, não repita mais o exercício para não afetar o bom funcionamento da bexiga.

3. Contrações

Elas são essenciais para você conseguir fazer o pompoarismo durante o sexo. Rápida e simples: fique de pé e comece as contrações: ''aperte'' fortemente o canal vaginal e, em seguida, relaxe. Repita 30 vezes. Ao final, inspire e expire profundamente. Esse processo aumenta a libido. Lenta e elevatória: a meta é comprimir todo o canal vaginal aos poucos, como se estivesse sugando algo para o interior do órgão. Pense num zíper sendo fechado: essa sucção deve acontecer da mesma maneira. Vá fechando o canal vaginal de baixo para cima. Depois, de cima para baixo. Prefira fazer isso em frente ao espelho para ver o movimento. Repita três vezes. Vale dizer que as experientes conseguem ''fechar'' o canal vaginal como se ele fosse dividido em três partes - e elas têm total controle sobre cada uma delas. É isso que você deve treinar nesse passo.

4. Exercícios posturais

Estas atividades podem ser feitas com ou sem acessórios. O ideal é exercitar quatro tipos de movimento por dia durante meia hora, e ir revezando ao longo dos dias.

1. Em pé: encaixe o quadril, separe os pés e coloque as mãos na cintura. Faça a contração rápida do canal vaginal e   mova o quadril para trás e para frente. Relaxe. Repita 15 vezes.

2. Na cadeira: sente-se, apoie as mãos nas coxas e mantenha os pés paralelos e separados. Contraia a vagina, conte até dez e relaxe. Agora, contraia lentamente, sugando o canal. Repita dez vezes.

3. Agachada: contraia o canal vaginal sugando aos poucos e, então, relaxe rapidamente, como se estivesse forçando a saída do xixi. Repita de 15 a 20 vezes.

4. Deitada: deite de costas para o chão, coloque os braços paralelos ao corpo e flexione os joelhos. Eleve o quadril e contraia o canal. Permaneça assim e conte até dez. Desça e relaxe. Repita dez vezes.

5. Ajoelhada: fique de quatro, mantenha a coluna reta e comprima o canal. Segure a contração, curve as costas e relaxe. Repita de dez a 15 vezes.

6. Com almofada: deite de barriga para cima, eleve as pernas e flexione os joelhos, deixando a canela paralela ao chão. Com a almofada entre as coxas, contraia a vagina, conte até 20, e relaxe. Repita dez vezes.

5. Exercícios sexuais

1. Torcer: de quatro, quando o parceiro introduzir o pênis, contraia com força. Leve o quadril para direita, torcendo o pênis. Relaxe. Repita para a esquerda.

2. Sugar: com ele deitado de lado, encaixe-se sobre o pênis, mas de maneira que forme a letra ''T'', enlaçando-o com as pernas. Faça a contração lenta e elevatória, sugando o membro.

3. Massagear: posicione-se em cima do moço para que a penetração seja total. Faça a contração lenta e, em seguida, relaxe todo o canal. Repita quantas vezes quiser. Vocês devem se manter parados enquanto apenas os músculos vaginais trabalham.

4. Estrangular: quando o parceiro estiver quase ejaculando, contraia o canal vaginal de forma bem rápida e forte, ''segurando'' o pênis pelo tempo que conseguir. Assim, o orgasmo demorará mais tempo e será longo.

5. Expulsar: vocês dois já chegaram ao orgasmo? Experimente abrir todo o canal com força para ''expelir'' o pênis.

6. Prender: ''aperte'' o músculo com força para ''prender'' o pênis dentro de você.

Os utensílios da técnica


Plug Bool Gradual 5 Esferas 18cm 
1. Bolas tailandesas: leves indicadas para as novatas, fortalecem rapidamente a região vaginal. A força utilizada no exercício deve respeitar a sua capacidade de contração. 



Colar Tailandês G 24mm 
2. Colar tailandês: com cinco bolinhas, enfatiza a coordenação para os exercícios. ao introduzi-lo, o canal vaginal se contrai espontaneamente. use-o dez minutos por dia.

Ben Wa - Kit Bolinhas de Pompoar 4 + Manual do Pompoarismo 

3. Bolas Ben-Wa: tem duas ou quatro bolinhas e facilita o movimento de sugar e expulsar o pênis. Recomendado para quem já treina há algum tempo.





https://volupiasexshop.com.br/loja/?ref=2494

 
Compartilhe no Google Plus

Sobre Luciana Costa

Blogueira e escritora independente. Sou amante da literatura e das artes. Também amo minha liberdade, minha família, meus amigos. Gosto de aprender e gosto de ensinar.

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou do Texto? Deixe um comentário!
Obs: todos os comentários são moderados antes de serem liberados e exibidos no blog. Comentários anônimos são aceitos, palavrões e insultos, não. Se desejar comentar anonimamente, assine com um pseudônimo.