Amor Platônico e Seus Segredos Revelados

Quando pensamos em amor platônico hoje, assumimos que os relacionamentos platônicos são o tipo onde duas pessoas são próximas, mas evitam compartilhar a intimidade sexual uma com a outra.

Mas a História revela uma estória que é muito mais esclarecedora.


Mas, antes de voltar no tempo, vamos dar uma olhada no amor platônico da maneira que nós vemos hoje.


O significado do amor platônico


Para explicá-lo em palavras simples, o amor platônico é agora entendido como uma forma de amor verdadeiro entre amigos heterossexuais que é desprovido de atração sexual.

[Leia: 10 Tipos de Amor que Você Vai Experimentar em Sua Vida]


Nós experimentamos isso o tempo todo quando chegamos perto de alguém do sexo oposto, mesmo que isso nos assuste ou construa uma química sexual intensa.


Toda vez que nos encontramos mais perto de alguém que admiramos ou cuja companhia amamos, nós sentimos a compreensão do amor platônico.


E, em grande medida, lutamos para ficar atrás da barreira que divide o amor platônico do amor romântico.


A a linha que divide estes dois tipos de amor é muito fina e a menos que haja uma razão para frear a atração sexual dentro da amizade, o relacionamento começará a derivar em direção o romance. 


Há várias pessoas no mundo que compartilham com sucesso relacionamentos platônicos. Mas será que realmente se amam intensamente ou são apenas amigos casuais?


E se eles se amam intensamente, podem eles ainda permanecerem apenas amigos para sempre?
[Leia: Você são Amigos ou Mais do que Amigos?]

Por que é tão difícil de experimentar o amor platônico hoje?


O amor platônico pode ser difícil de vivenciar hoje, não porque pensamos mais com nossas cabeças e menos com nossos corações, mas por causa das restrições impostas pela sociedade.

Mais de dois mil anos atrás, quando Platão primeiramente explicou seus pensamentos sobre o amor em um debate, a ideia de amor platônico como a conhecemos hoje foi apenas uma pequena parte de sua descrição do amor e a ideia complexa por trás do amor.


Segundo Platão, o amor era o desejo de querer o bem, ou querer a felicidade na vida. Quando você fica cheio de felicidade quando vê alguma coisa, o que você experimentar é o sentimento de amor.


No debate, onde a ideia de amor platônico foi discutida pela primeira vez por Platão e outros filósofos, Platão nunca falava de amor como uma experiência heterossexual. Então, quando falamos sobre o amor platônico hoje, que é entendido como um vínculo entre sexos opostos, nem sempre tem que ser interpretado dessa forma. 


Então, o que faz com que o amor platônico seja uma experiências tão difícil entre os sexos?


No mundo de hoje, qualquer afeto para além de um aperto de mão, um abraço amigo ou um beijo é considerado inadequado entre amigos. Mas quando você realmente ama alguém e seu coração deseja tê-lo por perto, você se sentirá saciado com um simples abraço quando você e seu amigo se reencontrarem depois de um ano separados?


Amor platônico é difícil de experimentar por causa das restrições que são impostas a nós hoje. E essas mesmas restrições entre amigos também criam insegurança, ciúme, mágoas e outras coisas.


Orientação sexual é um novo mito


Isto pode ser um choque para você, mas em muitas culturas civilizadas a orientação sexual é uma nova tendência que tem sido seguido apenas nos últimos séculos. É claro, a reprodução ocorre apenas entre os sexos opostos. Mas o afeto é compartilhado abertamente entre os de mesmos sexos também.

Hoje, não é aceitável ser excessivamente carinhoso com qualquer amigo, seja um rapaz ou uma moça. Mas até mesmo uma centena de anos atrás, era aceitável para os indivíduos se acariciarem ou até mesmo beijarem outros membros do mesmo sexo só para mostrar sua afeição. As relações amorosas entre os de mesmo sexo e amigos foram extremamente comuns e nunca foram vistos como tabu até um século atrás. Claro, a homossexualidade era considerada tabu, mas demonstrar afeição através da intimidade física, por outro lado, foi comumente aceita como uma demonstração de amizade.

O filósofo Platão também considera o amor um fenômeno puro entre pessoas do mesmo sexo e aborda a atração sexual como uma característica heterossexual.


Definição de amor por Platão


Platão define o amor como "um desejo para a posse perpétua do bem". Ele diz que o amor é um desejo, uma sede permanente para as coisas que irão satisfazer e cumprir as nossas necessidades.

Segundo Platão, cada ser humano é uma mistura instável de duas metades, seu corpo e sua alma, e cada uma dessas partes é regida por dois tipos de amor. O corpo anseia por desejos carnais e é preso a desejos sexuais e luxúria, o que obriga o ser humano a criar apegos físicos entre outros indivíduos mundanos. E, por outro lado, a alma só se preocupa com uma espécie nobre e espiritual do amor que transcende além de meros desejos sexuais.


Platão descreve o amor como intensa atração e desejo de estar com uma pessoa ou objeto em particular, mas ainda, que não é guiada por vício sexual ou desejos carnais. E, portanto, nós temos este tipo de amor puro entre duas pessoas, o amor que vai além da atração sexual, o amor que conhecemos hoje como o amor platônico.


Amor platônico entre os sexos


Podem homens e mulheres nunca serem apenas amigos? Eles podem, mas é muito mais difícil do que era antes. Quando você ama alguém, você quer admirá-lo, você quer mantê-lo e amá-lo, porque você não pode encontrar uma maneira melhor de expressar o carinho forte que você sente por dentro.

Mas isso é realmente aceitável na sociedade de hoje? Você pode realmente beijar um amigo ou abraçar um amigo sem se sentir estranho por isso, porque alguém está te julgando?


Nos dias atuais, os amigos perfeitamente platônicos acabam se tornando companheiros de sexo ou têm affairs secretos, porque não podem entender o que eles sentem! 


O mundo convenceu-nos a acreditar que a intimidade física entre amigos ou entre dois membros do mesmo sexo é inadequado e condenado, e tão ruim quanto a relação sexual. Mas nossas mentes simplesmente não conseguem entender isso!


Melhores amigos platônicos são mais difíceis de fazer e manter porque o mundo não pode aceitar seu relacionamento. Estamos sendo forçados a evitar a intimidade física em todos os lugares. E, em teoria, este ostracismo de intimidade física entre amigos pela sociedade pode estar causando mais casos secretos e relacionamentos quebrados também.


Afinal, mesmo quando você se sentir apaixonado por um amigo íntimo, você não pode fazer nada, mas acaba se sentindo um pouco estranho e envergonhado com isso porque alguém te convenceu de que o verdadeiro amor que você sente por dentro está errado!


As diferentes dimensões do amor


Desejar alguém sexualmente não é amor. É atração sexual.

Poetas e românticos sempre colocam o amor romântico sobre um pedestal e obrigou-nos a acreditar que o amor romântico é a forma mais poderosa do amor.Somos forçados a acreditar que só podemos amar uma pessoa de uma vez e se sentir qualquer forma de amor que é semelhante ao amor romântico com qualquer outra pessoa, nos sentimos culpados e somos convencidos a acreditar que nós estamos traindo ou tendo um caso. 


Mas isso não é a verdade. Tudo o que quero e desejo, tudo o que nos faz trabalhar no sentido de alcançar algo, seja uma pessoa ou um objeto, é por causa da força do amor. Os sacrifícios que você faz, os pequenos e os grandes, é por causa de seu desejo de querer alguém ou algo. E se isso não é amor, então o que é?


Amor platônico e assuntos emocionais


Um caso emocional é um tipo de amor platônico. Mas na sociedade de hoje, não é aceitável para nós a sentir-se apaixonado por outra pessoa que não sejam os nossos próprios parceiros. É simplesmente errado porque ameaça o relacionamento amoroso em que já estamos envolvidos.

No mundo de hoje, somos ameaçados por questões emocionais, tanto quanto por assuntos sexuais. Se você se ligar mentalmente com alguém do sexo oposto e se sentir mais emocionalmente ligado a ele do que ao seu próprio parceiro, é apenas uma questão de tempo antes do seu parceiro começar a se sentir inseguro sobre o casamento ou relacionamento.


O melhor teste para assuntos emocionais é um teste meio incomodo. Você pode confortavelmente

falar sobre seu amigo platônico com seu parceiro? Você pode dizer ao seu parceiro sobre cada detalhe da conversa que você tem com o seu amigo sem se sentir desconfortável? 

Assuntos emocionais são quase sempre um segredo bem guardado, porque você se sente desconfortável com a ideia, especialmente em relação ao seu parceiro. Se você não pode falar sobre isso com o seu parceiro, então sua amizade platônica pode vir na forma de um relacionamento feliz com seu próprio parceiro.


A amizade platônica nunca é ruim, desde que você fique dentro do seu limite moral. Mas se sua afeição para com um amigo começa a substituir o amor que você tem pelo seu parceiro, você sabe que sua vida amorosa virará de cabeça para baixo, não é?


Será que a amizade platônica nunca será entendida?


A relação platônica não envolve apenas duas pessoas, você e seu amigo. Trata-se de seu próprio parceiro e o parceiro do seu amigo platônico também. Mesmo que você ou seu amigo sejam unidos hoje e companheiros em tudo, será que ainda sentirão o mesmo quando um ou ambos entrarem em relações românticas com outras pessoas?

Se você estiver confortável em se aconchegar com seu melhor amigo do sexo oposto sob o cobertor enquanto assiste a um filme, você acha que o seu novo parceiro aceitaria essa ideia?


E, por outro lado, se o seu parceiro passa uma noite com seu amigo mais chegado, você realmente se sentiria bem com isso?


Este é o mundo monogâmico em que vivemos hoje. Como seres humanos, nós ficamos com ciúmes e inseguros, e não podemos viver no mundo idealista ao qual define o puro amor de Platão, que é desprovido de desejos sexuais, por mais razoável ​​ou intelectual que sua ideia possa ser.


Definindo regras para o amor platônico


Se você tiver um amigo platônico e você não quer que a amizade fique no meio de sua vida amorosa, aprenda a estabelecer regras. Definir regras básicas com seu parceiro pode ser o caminho mais seguro para experimentar o amor platônico e ter uma vida amorosa feliz. Mas lembre-se, o seu parceiro poderá sempre adicionar novas regras cada vez que ele se sentir inseguro e isso pode acontecer muitas vezes! [Leia: 8 Maneiras Saudáveis de Lidar com o Ciúme]

O poder do amor insuprimível


De acordo com o próprio Platão, o amor é o desejo pela posse perpétua do bem. Se você encontrar alguém atraente ou se você encontrar algo desejável, você não pode remediar, mas se apaixonar.

Talvez, a nossa cultura e a sociedade tenham sobrecarregado as palavras "amor" e "paixão" e obrigou-nos a evitar sentir essas emoções com qualquer um, além dos nossos parceiros românticos. Mas, se estamos dispostos a aceitá-lo ou suprimi-lo, todos nós sabemos que, a cada momento, sentimos uma onda de amor, paixão e carinho para com amigos platônicos, mesmo que nunca estejamos dispostos a reconhecê-los ou aceitá-los


Mas uma vez que você perceba que está verdadeiramente amando um amigo platônico e você tem um parceiro romântico também, isso faz você se sentir estranho?

A resposta a essa pergunta vai ajudá-lo a fazer a sua mente entender se você tem a capacidade emocional e estabilidade no relacionamento para experimentar o amor platônico com um amigo e manter o amor romântico com o seu parceiro ao mesmo tempo.


[Leia: Os 10 Problemas mais Comuns em Relacionamentos e Maneiras Rápidas de Corrigir]


Afinal, o amor platônico parece fácil de entender ao ler sobre ele ou quando você é solteiro. Mas a menos que você tenha um parceiro muito compreensivo, é mais fácil evitar amizades platônicas apaixonadas e suas interpretações míopes da sociedade, que gera muitas confusões.


Estou me esforçando ao máximo para ajudar a melhorar os relacionamentos das pessoas. Mas não posso fazer isso sozinha. Você gostou desse texto e te ajudou de alguma forma? Compartilhe!!! Outras pessoas podem gostar também! Esse blog se mantém através da venda de ebooks. Se você acha que vale continuar com esse trabalho, ajudando quem acessa esse espaço, Clique AQUI. Além de adquirir materiais de qualidade, você estará me ajudando a manter esse blog. Obrigada!!!!

http://www.72.mktid5.com/w/1e4ervle7cGg61ZwXe6766f2-6

http://bit.ly/secaoebooks

Compartilhe no Google Plus

Sobre Luciana Costa

Blogueira e escritora independente. Sou amante da literatura e das artes. Também amo minha liberdade, minha família, meus amigos. Gosto de aprender e gosto de ensinar.

3 comentários:

  1. Que incrível esse texto. Gostei muito.
    Me fez lembrar uma situação que estou vivendo. Tenho uma amizade platônica, porém as pessoas ao redor já nos taxam como "casal" e tipo, esse amigo tbm tem uma amizade platônica com uma outra amiga minha, e eles também já foram taxados como "casal"...ou seja, a sociedade nos fez perder a sensibilidade com relação ao amor como antigamente...não se pode mais ter um amigo (mais chegado que um irmão - sexo oposto) que já nos olham com olhar de "julgamento". Até conversei com ele sobre essa "taxação" ao qual nos impuseram, por um lado é relativamente bom no sentido de desviar o foco de quem realmente estamos interessados mas por outro pode afetar a amizade que construímos, digo isso por mim, pois eu acabo me afastando para evitar que os "julgamentos" errados a nosso respeito perpetuem...e sem contar que essa situação me irrita muito, tanto que passo a tratar até com ignorância as pessoas envolvidas nesse tipo de julgamento.

    ResponderExcluir
  2. Meu comentário ficou meio embaralhado rsrsrs...mas acho que deu pra entender hehe
    Muito raro hoje as pessoas entenderem isso...muito mesmo. E me conhecendo bem, sei que minha reação será totalmente negativa: Irei tratar com ignorância quem nos taxa como casal ou faz insinuações (Ó vc e fulano ein, huumm...to de olho -- entende?), e acabo que me afastando do amigo por conta desses julgamentos e insinuações.
    Complicado isso =/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Evelin, não se preocupe, deu pra entender sim o que vc escreveu e foi muito relevante. Infelizmente, hoje em dia, até se duas amigas sairem à rua de braços dados, serão taxadas de lésbicas. Homens com muita intimidade, taxados de gays e isso acaba dificultando um bom relacionamento de amizade, seja entre pessoas do mesmo sexo, seja entre pessoas do sexo oposto.

      Excluir

Gostou do Texto? Deixe um comentário!
Obs: todos os comentários são moderados antes de serem liberados e exibidos no blog. Comentários anônimos são aceitos, palavrões e insultos, não. Se desejar comentar anonimamente, assine com um pseudônimo.