O Perdão e a Sua Saúde

Ser capaz de perdoar pode melhorar o funcionamento do coração?

Devemos desenvolver e manter a capacidade de perdoar. Quem é desprovido do poder de perdoar é desprovido do poder de amar. Há algo de bom no pior de nós e algo de mal no melhor de nós. Quando descobrimos isso, somos menos propensos a odiar nossos inimigos. - Martin Luther King Jr.


O que é o perdão?

Embora possa ser definido de diferentes maneiras, o perdão é geralmente descrito como "o processo intencional e voluntário de uma vítima que sofre uma mudança de sentimentos e atitudes em relação a uma ofensa, deixando ir as emoções negativas, como vingança, com uma maior capacidade de aceitar o agressor também." Apesar de ser um tema comum na teologia, sociologia e direito, também tem havido um grande número de estudos de investigação olhando para o valor psicológico do perdão. Se isto envolve perdoar a nós mesmos, quem perdoa alguém ou é perdoado, o impacto que o perdão pode ter sobre as relações pessoais e saúde emocional podem ser profundos.

De acordo com um estudo de 2012 que olha uma amostra nacional de mais de 1.200 americanos mais velhos, o perdão condicional de outros emergiu como um preditor significativo da longevidade. Em outras palavras, não perdoar outras pessoas pode muito bem ser considerado um risco para a saúde. O perdão também pode desempenhar um papel importante nas relações familiares e a saúde física dos membros da família.

Mas também pode haver diferentes níveis de perdão. O perdão de afeição, por exemplo, ocorre em diferentes relacionamentos, ofensas e circunstâncias enquanto que o perdão episódico envolve um único ato de perdão para um crime específico. Há também o perdão diádico que envolve perdoar um parceiro de relacionamento (como um marido ou esposa) por infrações graves. A maioria dos estudos que olham o perdão e saúde geralmente se concentram em perdão de traço ou afetivo porque o impacto sobre a saúde a longo prazo é mais fácil de medir.

Ao longo da última década, os pesquisadores identificaram diferentes efeitos fisiológicos que o perdão de afeição e episódico podem ter sobre o corpo humano. Em um estudo de 2001, examinando a utilização de imagens de perdão para lidar com as memórias dolorosas, os indivíduos, imaginando-se perdoar as pessoas que os ofenderam, experimentaram menor frequência cardíaca e da pressão arterial do que os indivíduos que imaginaram guardar rancor. Pensamentos rancorosos também produziram aumento da resposta galvânica da pele e uma resposta EMG superior. Outros estudos encontraram menor pressão arterial diastólica e sistólica relacionadas com o perdão, especialmente para as mulheres, bem como uma forte ligação entre o perdão e os problemas de saúde auto-referida.

Um novo estudo publicado na revista Couple and Family Psychology: Research and Practice é mais uma
prova do valor do perdão no alívio de doenças cardíacas. Uma equipe de pesquisadores liderada por Frank Fincham do Florida State University analisou noventa casais recrutados da área de Tallahassee, Florida para medir a fisiologia do perdão no casamento. Em média, os casais estavam casados ​​há 12 anos e não tinha histórico de problemas de saúde. Todos os indivíduos do teste foram testados em diferentes medidas fisiológicas, incluindo a frequência cardíaca, pressão arterial sistólica e diastólica, carga de trabalho cardíaco (consumo de oxigênio), e pressão arterial média.

Os indivíduos da pesquisa também concluíram testes psicométricos de medição do perdão de afeição e diádico, bem como a satisfação do relacionamento. O questionário para perdão de afeição incluíam itens como "Eu consigo superar isso rapidamente quando alguém machuca meus sentimentos", enquanto que o de perdão diádico foi medido com itens como "Quando o meu parceiro me faz mal, eu aceito sua humanidade, falhas e fracassos." Satisfação com o relacionamento foi medido com itens incluindo "Eu tenho uma relação quente e confortável com o meu parceiro."

Como esperado, o perdão de afeição e o perdão diádico foram fortes preditores de diferentes medidas de saúde cardiovascular para ambos os maridos e esposas. Mesmo quando a satisfação marital foi tida em conta, as pessoas que marcaram no alto das duas medidas de perdão tiveram menores taxas de coração, pressão arterial, e melhor eficiência cardiovascular do que os indivíduos com baixa pontuação de perdão. Quando maridos e esposas foram comparados diretamente, a relação entre o perdão e a saúde tende a ser maior para os maridos do que para as mulheres, embora os resultados fossem significativos para ambos os sexos.

Assim, o que estes resultados sugerem? Como Frank Fincham e seus co-autores destacam em suas conclusões, as doenças cardiovasculares, como hipertensão, doença cardíaca e acidente vascular cerebral são as principais causas de morte no mundo. Por esse motivo, é essencial que aprendamos a compreender como os fatores psicológicos podem influenciar a saúde cardiovascular.

Apesar de ter uma forte tendência para perdoar parecer estar fortemente relacionada à melhora do funcionamento do coração, este estudo só foi testado em indivíduos da pesquisa em um ponto no tempo, sem olhar para como o perdão pode evoluir ao longo do tempo. Ainda assim, os efeitos do perdão sobre o funcionamento do coração parecem ainda maiores do que muitas das rotinas médicas preventivas recomendadas pelos cardiologistas para pacientes cardíacos. Isso definitivamente acompanhará pesquisas futuras.

Nesse meio tempo, considere o valor da saúde de um simples perdão em oposição a deixar que o ressentimento em relação a delitos passados ​​te apodreça. A vida que você salva pode ser a sua própria.

Fonte: Psychology Today 

Estou me esforçando ao máximo para ajudar a melhorar os relacionamentos das pessoas. Mas não posso fazer isso sozinha. Você gostou desse texto e te ajudou de alguma forma? Compartilhe!!! Outras pessoas podem gostar também! Esse blog se mantém através da venda de ebooks. Se você acha que vale continuar com esse trabalho, ajudando quem acessa esse espaço, Clique AQUI. Além de adquirir materiais de qualidade, você estará me ajudando a manter esse blog. Obrigada!!!!

Compartilhe no Google Plus

Sobre Luciana Costa

Blogueira e escritora independente. Sou amante da literatura e das artes. Também amo minha liberdade, minha família, meus amigos. Gosto de aprender e gosto de ensinar.

0 comentários:

Postar um comentário

Gostou do Texto? Deixe um comentário!
Obs: todos os comentários são moderados antes de serem liberados e exibidos no blog. Comentários anônimos são aceitos, palavrões e insultos, não. Se desejar comentar anonimamente, assine com um pseudônimo.